Já curtiu?

Pesquisar este blog

E se você fosse... Léia


       E se você fosse... Léia


“Então Jacó disse a Labão: Dá-me minha mulher, porque o tempo já está cumprido; para que eu a tome por mulher. Reuniu, pois, Labão todos os homens do lugar, e fez um banquete.
À tarde tomou a Léia, sua filha e a trouxe a Jacó, que esteve com ela. E Labão deu sua serva Zilpa por serva a Léia, sua filha.
Quando amanheceu, eis que era Léia; pelo que perguntou Jacó a Labão:
_Que é isto que me fizeste? Porventura não te servi em troca de Raquel? Por que, então, me enganaste?” (Gênesis 29.21-25)

Uiiii!  Que mancada, hein? Pense como uma garota planeja o dia do seu casamento. Vestido de noiva, véu, grinalda, buquê, o bolo, os convidados. O dia em que ela vai ser o centro das atenções. O dia dela. Dia dela?! Era o dia da irmã dela!
Eu sei que as irmãs costumam participar bastante do casamento da outra. Elas ajudam a escolher o vestido. Dão palpites na decoração e até organizam o chá de panela, mas isso não inclui dormir com o noivo na noite de núpcias. Ah, isso não mesmo! Em cultura nenhuma. “Respondeu Labão: Não se faz assim em nossa terra; não se dá a menor antes da primogênita.” (Gênesis 29.26) OK! Tudo bem. Talvez naquela cultura isso fosse permitido. Ou não, sei lá! Parece traição demais. Se Jacó não podia se casar com Raquel antes de Léia estar casada, tinha que ser avisado primeiro, não acham? Alguém tinha que ter dado um toque nele. Quem sabe ele não tinha dado até uma forcinha pra arranjar um marido pra ela?
Eu não sei que tipo de trato o pai de Léia fez com ela. Eu não sei se ela foi obrigada a tomar o lugar de Raquel. Na cultura daquele tempo as mulheres não costumavam ter muita voz. Não sei se este era o caso daquela família. Muitos anos antes, a tia e sogra dela, Rebeca, foi consultada pelo próprio Labão se deveria acompanhar o servo de Abraão para se casar com Isaque.
 “Disseram o irmão e a mãe da donzela:
_ Fique ela conosco alguns dias, pelo menos dez dias; e depois irá.
Ele, porém, lhes respondeu:
_ Não me detenhas, visto que o Senhor me tem prosperado o caminho; deixai-me partir, para que eu volte a meu senhor.
Disseram-lhe:
_ Chamaremos a donzela, e perguntaremos a ela mesma.
Chamaram, pois, a Rebeca, e lhe perguntaram:
_ Irás tu com este home?
 Respondeu ela:
_ Irei.” (Gênesis 24.55-58)
Talvez elas não fossem tão desconsideradas assim. Eu não sei se Raquel sabia do caso ou se também foi enganada como Jacó. O problema todo é que Léia sabia. Sinceridade num relacionamento é fator totalmente importante.
Você deve estar pensando: “Pobre moça. Ela foi obrigada pelo pai. Quem ia querer um casamento desse tipo? Talvez ela nem gostasse dele também.” Será?
“Ora, saiu Rúben nos dias da ceifa do trigo e achou mandrágoras no campo, e as trouxe a Léia, sua mãe.
Então disse Raquel a Léia:
_ Dá-me, peço, das mandrágoras de teu filho.
Ao que lhe respondeu Léia:
_  É já pouco que me hajas tirado meu marido? Queres tirar também as mandrágoras de meu filho?
Prosseguiu Raquel:
_ Por isso ele se deitará contigo esta noite pelas mandrágoras de teu filho.
Quando, pois, Jacó veio à tarde do campo, saiu-lhe Léia ao encontro e disse:
_ Hás de estar comigo, porque certamente te aluguei pelas mandrágoras de meu filho.
E com ela deitou-se Jacó aquela noite.” (Gênesis 30.14-16)
É, gente! Ela gostava dele sim. Acho que neste caso estava até faltando um pouco de amor próprio, mas tudo bem. Vamos dar um voto de confiança à Léia. Uma vez estávamos preocupados com a escolha de um tema para um importante trabalho na faculdade e o professor nos disse: “Deixem disso! Escolham qualquer tema e comecem logo o trabalho. É como no casamento, o amor vem com o tempo.”
É claro que ele estava brincando, mas mesmo assim, ficamos horrorizados. Mas este era um pensamento recorrente entre os mais antigos. Não pensem que sou uma delas, viu? Eu não sou tão antiga assim.
Então vamos contar com isso e pensar que Léia só passou a gostar de Jacó depois que já estava casada com ele. Mas sinceramente, tenho minhas dúvidas.
Pensem naquele primo distante que chega de uma terra mais distante ainda e cai de pára-quedas bem na casa dela. Aí você vai pensar: “Meu primo? Que nojo!” Pensamento correto. O ideal é que primos não se casem por causa de problema de formação dos filhos ou doenças recessivas, mas em muitas culturas casamento entre primos são usuais. Na nossa própria cultura este tipo de união é aceitável.  Até certo ponto, é claro! As tias nunca olham com bons olhos!
Voltando ao primo recém-chegado. “Olha que gato!” Ela deve ter pensado. “E ele é forte e cavalheiro!” Olhem o que certamente ela deve ter ouvido falar sobre ele:
“Perguntou-lhes Jacó:
_  Meus irmãos, donde sois?
Responderam eles:
_ Somos de Harã.
Perguntou-lhes mais:
_ Conheceis a Labão, filho de Naor?
 Responderam:
_ Conhecemos.
Perguntou-lhes ainda:
_ Vai ele bem?
Responderam:
_ Vai bem; e eis ali Raquel, sua filha, que vem chegando com as ovelhas.
Disse ele:
_Eis que ainda vai alto o dia; não é hora de se ajuntar o gado; dai de beber às ovelhas, e ide apascentá-las.
Responderam:
_Não podemos, até que todos os rebanhos se ajuntem, e seja removida a pedra da boca do poço; assim é que damos de beber às ovelhas.
Enquanto Jacó ainda lhes falava, chegou Raquel com as ovelhas de seu pai; porquanto era ela quem as apascentava. Quando Jacó viu a Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe, e as ovelhas de Labão, irmão de sua mãe, chegou-se, revolveu a pedra da boca do poço e deu de beber às ovelhas de Labão, irmão de sua mãe.Então Jacó beijou a Raquel e, levantando a voz, chorou.” (Gênesis 24.4-11)
“E ainda é sensível! Acho o máximo rapazes que choram!” Terra chamando Léia!
O problema aqui é que Raquel já tinha visto primeiro. “É meu, ninguém tasca!” É claro que isso não é requisito para que uma menina seja “dona” de um garoto. Mas é uma espécie de acordo entre damas de nossa cultura. OK! Eu sei, tem muita gente desrespeitando esse acordo. Mas o que todas nós esperamos é que seja assim, não é mesmo?
Daí, se o menino não quer, se ele não se mexe, se ele mostra interesse por outra... Tudo bem, está liberado! O problema era que Jacó não estava liberado.
“Jacó, porquanto amava a Raquel, disse:
_ Sete anos te servirei para ter a Raquel, tua filha mais moça.
Respondeu Labão:
_ Melhor é que eu a dê a ti do que a outro; fica comigo.
Assim serviu Jacó sete anos por causa de Raquel; e estes lhe pareciam como poucos dias, pelo muito que a amava.” (Gênesis 29.18-20)
       Gente! O garoto estava apaixonado. Ele trabalhou sete anos de graça pro pai dela e nem viu o tempo passar porque a amava! Que coisa mais fofa!
       Aí está o problema. Garoto apaixonado + Amor correspondido = Garoto indisponível.
       A regrinha é muito simples e não adianta querer tentar novas variantes. Uma pessoa estava sobrando naquela equação e aquela pessoa era a Léia. Ela podia até pensar: “Mas eu sou a mais velha, tenho direito de ...” Procurar outro cara disponível! É o que eu responderia pra ela.
       Ao analisar um casal, muitas meninas pensam. “Mas eu sou mais bonita do que ela.” “Mas eu sou mais velha do que ela.” “Mas eu o conheço a mais tempo.” “ Mas eu combino muito mais com ele.”
Chega de mas, mas. Não é correto se intrometer entre um amor. Muito menos quando este casal já estiver formado: “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.” (Êxodo 20.17) Aqui também vale as roupas, os sapatos e principalmente os namorados das suas amigas.
       Eu não sei que parcela de culpa Léia teve nesse triângulo amoroso em que viveu com sua própria irmã. Eu não sei se alguma vez ela foi realmente feliz ou se teve que pagar por isto o resto da sua vida. Ela pode até não ter sido a mentora desse crime que seu pai cometeu contra Jacó. Mas ela poderia não ter ficado calada. Teria se poupado de muita dor de cabeça.
       Então, amiga, se você fosse Léia, eu te aconselharia a gritar bem alto:
       _ Alô, rapaz! Antes que seja tarde para nós dois, preciso te avisar uma coisa: Você está com a garota errada!


Rose Amaral

Junho de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário, ele é muito importante para nós. Agradecidas!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...